Primeiro post do blog

Este é o resumo do post.

Iniciei esse projeto que há muito tempo estava guardado, sei que será difícil conseguir que seja reconhecido mas espero e vou me esforçar para isso.

O intuito do blog ‘Vivendo aos 18’ é falar sobre o que acontece na cabeça de um adolescente/ adulto, numa fase difícil que é a de ter responsabilidades.

Também vou abordar temas como moda, maquiagem, beleza, corpo e padrões. Outra coisa que não poderia esquecer, nesse ano de 2019 vou prestar meu primeiro ENEM e estou começando os estudos, também vou falar sobre minha rotina de estudos e a escola.

Tomara que gostem.❤️

Como foi minha experiência sendo estagiária numa creche

O ano de 2018 foi bem implacável. No começo do ano consegui um estágio numa creche que fica à 10 minutos da minha casa, e foi a realização de um sonho, era meu primeiro emprego e algo que tinha ligação direta com meu curso técnico, lá fui eu em meados de fevereiro, alguns dias antes da volta às aulas das crianças. Gente, minha visão sobre estágio mudou depois que pisei os pés lá, para começo de conversa eu não participava das atividades pedagógicas, já que enquanto isso acontecia, eu estava trocando fraldas (as crianças tinham de 2 a 3 anos), colocando lençóis nos colchões, varrendo a sala e limpando, basicamente era isso que eu fazia todos os dias, fora uma professora que me tratava mal e ria de mim. Comecei a ficar abalada e mal fazia as atividades que me deram, e por conta disso quase perdi o estágio, as professoras reclamaram de mim.

Me foi dada a nova atividade de limpar o nariz de TODAS as crianças, e graças a isso fiquei doente o ano todo.

E o que você estava esperando para sair desse estágio?

Nada é tão simples assim, o Brasil todo está em crise e ainda mais numa cidade pequena que não há empregos (somente para quem tem influência) e como eu não tinha, continuei, conforme os meses passavam aquilo me fazia mal, eu acordava triste e ia trabalhar triste, a única coisa que me deixava feliz eram as crianças, que sempre me deram muito amor e carinho ( estou chorando de saudades delas).

Os meses passaram e eu continuava a fazer as atividades nada pedagógicas que me deram, até que certo dia comecei a passar mal e descobri uma virose, minha imunidade estava muito baixa, eu já havia emagrecido 10 quilos e pesava menos que 50, comecei a ficar amarelada, e fui trabalhar mesmo mal, em certo momento essa professora que me destratava agarra uma caixa de brinquedos enorme, joga no chão da sala e pede que eu arrume separando bonecas de carrinhos e afins, eu, fraca, doente e vomitando, comecei a organizar, mas parei quando senti que iria desmaiar, juntei minhas coisas e fui embora, no dia seguinte levei meu atestado, e como era apenas de um dia, continuei a ir mesmo doente, essa mulher me infernizava o tempo todo, fui chamada a direção novamente, ela havia dito que eu estava acomodada na ultima semana, chorei muito, pois apesar de ter ficado doente por mais de uma semana, me esforçava para realizar minhas tarefas, pensei em naquele momento desistir do estágio e não pisar mais naquele lugar, mas eu precisava do emprego, conversei com a diretora e ela foi muito importante na minha decisão de tentar novamente nesse ano de 2019.

Foi ai que percebi o quanto aquilo estava me afetando, pois não ia bem nos estudos, eu não consegui conciliar os dois, fora que minhas notas caíram já que eu estava sempre cansada, comecei a ter crises de estresse, eu chegava do Colégio e deitava na cama, ali eu ficava ate 5 ou 6 da manhã chorando, tentando me livrar daquele estresse e energia ruim, quando finalmente eu dormia, era a hora de acordar para ir trabalhar, com isso também comecei a ir mal no trabalho e me sentia cada vez mais esgotada, eu chorava muito quando estava sozinha, as vezes ia no banheiro e chorava ou chorava no caminho para casa, eu estava totalmente esgotada e desequilibrada. O mercado de trabalho é assim, a vida é assim, mas eu me sentia fraca por não conseguir aguentar tudo, foi um dos piores momentos quando percebi que ser professora era um dom e eu não tinha e que não seria uma boa profissional, tudo piorou quando fiz um concurso público e não passei, por fim, esse ano de 2019 é o ano da minha formatura, do ENEM e do meu último ano como estagiária, mas volto para aquela creche sabendo que esse ano eu não conseguirei e com um sentimento de impotência.

Texto 1 -Uma promessa a João

João, sei que você nunca vai ver isso, mas me faz bem imaginar sua cara lendo. Já não lembro mais da sua voz, nem da sua risada e não rio mais lembrando das suas piadas. João, você perdeu a graça. Sabe, chega uma hora que cansa. E olha, eu sempre fui assim, sempre enjoei e larguei quem me amava, mas João, com você foi diferente, você me destruiu. Sabe que fomos àqueles clichês adolescentes, tirando a parte que terminou sem final feliz, me dá vontade de rir de como o destino é cruel comigo. João, eu passei por tanta coisa, não sou mais aquela amiga que você mandava mensagem as vezes e sabe o que é pior de tudo? É que eu nunca vou saber o que você sentia por mim, porque você sumiu, como num passe de mágica você virou pó e está em outra cidade a trabalho. João, porque você virou um nômade e eu continuo nessa cidade de interior? Você foi para a cidade gelada e agora partiu para outra, e eu continuo aqui, meu Deus João, você imagina como eu me sinto vendo que você está vivendo e feliz. João, você me destruiu.

Tirado do meu tumblr, escrito em meados de novembro.

Beijo ❤️

Sobre mim?

Sabe aquela cidadezinha no interior de um estado pouco falado? Então. Moro no Paraná desde que nasci, claro que tenho milhares de sonhos e planos para sair daqui mas nada é tão simples assim, sinto vontade de inspirar outras pessoas a sonhar e sou uma escritora caloura, faz pouco mais de três anos que me aventuro no mundo da escrita, inclusive, tenho um tumblr com meus textos e citações de 2017 adiante, dos anos anteriores acabei perdendo.

Cresci com meus pais dizendo que nunca iríamos nos mudar daqui, mas como diz Zezé de Camargo e Luciano: ” depois que cresce o filho vira passarinho e quer voar” e eu queria muito continuar aqui, mas o que uma cidade de interior tem de oferecer para jovens? Eu quero o mundo.

Passei por aquelas coisas clichês como bullying e paixão adolescente, inclusive vai rolar posts sobre.

Senta que lá vem história.

Aah, também me aventuro no mundo da maquiagem e vem post também viu.

Até a próxima, beijos.